A Ketamina e o Cérebro – Um promissor tratamento para a Depressão Maior

Ketamina para DepressãoA Ketamina (ou Cetamina, originada do inglês Ketamine) é um composto químico sintetizado pela primeira vem em 1962 para substituir o anestésico Fenciclidina (PCP), que apresentava diversos efeitos indesejáveis. Inicialmente, essa substancia foi testada com sucesso em animais e, a partir daí, seu uso se tornou corriqueiro na medicina veterinária em situações que envolvem cirurgias. Posteriormente, o seu uso como anestésico foi comprovado de forma eficaz em crianças e em pacientes que sofreram queimaduras graves, bem como também em procedimentos de baixo impacto, tais como endoscopias e cateterismo. O seu uso em pacientes pediátricos se mostrou mais eficaz devido ao seu efeito broncodilatador em crianças com quadro asmático e que necessitam de cirurgias. O mesmo efeito não é seguro em pacientes adultos, pois pode precipitar uma insuficiência cardíaca que pode levar a um infarto do miocárdio. Portanto, em pacientes adultos a Ketamina é mais utilizada em doses menores para efeitos de analgesia pré-operatória, diminuindo assim a necessidade do uso de doses mais elevadas de morfina no pós-operatório.

Observando-se esse efeito de analgesia, pesquisadores médicos encontraram um novo uso para a Ketamina. Como essa substância age como um antagonista NMDA, bloqueando esse receptor em um local especifico do cérebro de uma forma controlada, os efeitos positivos da Ketamina no controle da dor crônica parecem ser muito promissores, principalmente em comparação aos efeitos dos opioides (como a Morfina) e dos anti-inflamatórios não esteroides (AINES), já que essas substâncias possuem desvantagens significativas, tais como problemas sérios no sistema respiratório e toxidades renais e gastrointestinais, respectivamente.

Cerca de 10 anos após a síntese da Ketamina foi registrado o primeiro caso do uso desta substância como droga de abuso (ou de uso recreativo) em 1971 nos Estados Unidos. Provavelmente isso ocorreu devido à curiosidade de alguém que já sofria com problemas de drogadição, já que o registro da Ketamina no FDA (órgão americano de controle de drogas e alimentos) foi nomeado como “Analgésico Dissociativo”, ou seja, um medicamento que podia provocar efeitos alucinógenos. Desde então, o uso dessa substância para esses fins teve um crescimento alarmante, principalmente durante os anos de 1990, quando se popularizou em festas noturnas e “raves” na Inglaterra. Hoje em dia o uso da Ketamina nesses ambientes cresceu mais do que o uso de anfetaminas.

Diante disso, o FDA alterou o registro da Ketamina na década de 1990, classificando-a como “Droga de Abuso” e, a partir daí, ela passou a ser conhecida nas ruas como “Special K”, “Vitamina K” ou, simplesmente, “K”. Nessa condição, o seu uso é de altas doses, provocando um aumento exacerbado da excitação elétrica no sistema límbico e no córtex cerebral, como também elevando o tônus simpático dos gânglios da base e do hipocampo. Tais modificações cerebrais se apresentam como uma elevação do humor e da euforia, causando distorções visuais e auditivas, sensações eróticas e também a estranha sensação de “flutuação” sobre o próprio corpo.

Os efeitos são semelhantes aos da cocaína e da anfetamina, porém os usuários da Ketamina tendem a aumentar a dose de forma crescente após o primeiro uso, provocando alterações graves em todo o corpo, como vômitos, amnésia, redução da função motora, delírios com agitação psicomotora, taquicardia, bradicardia, hipotensão e depressão respiratória. Os efeitos cognitivos e psiquiátricos podem perdurar por dias ou semanas e, após uso frequente, pode provocar efeitos psicóticos semelhantes à esquizofrenia e, num quadro mais crítico, levar o usuário ao óbito.

Em contrapartida, estudos vêm demostrando que o uso clínico controlado da Ketamina em baixas doses pode auxiliar de forma importante no tratamento de usuários de Heroína, uma droga de abuso sintética, e também, da mesma forma, pode auxiliar o tratamento de alcoolistas.

Há alguns anos, em 2006, o Dr.Carlos Zarate, Chefe do Núcleo de Terapêutica Experimental e Fisiopatologia e Chefe da Seção de Neurobiologia e Tratamento de Transtornos de Humor e Ansiedade, do conceituado NIMH (Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos), formou um grupo de estudos avançados e pesquisas randomizadas sobre o uso da Ketamina no tratamento da Depressão Maior (TDM), um transtorno específico do qual os portadores raramente obtém melhoras com o uso de antidepressivos. Tais estudos cominaram na comprovação dos efeitos benéficos da Ketamina em baixa dose para o tratamento da remissão depressiva nesses pacientes.

A ação rápida da Ketamina no tratamento da Depressão Maior foi obtida com administração de doses únicas intravenosas e subanestésicas equivalentes a 0,5 mg/kg, durante 40 minutos. Mais de 70% dos pacientes responderam com 50% de melhora 24 horas após a infusão, e cerca de 35% mostraram uma resposta sustentada após uma semana. O único problema apresentado se restringe aos efeitos alucinógenos da Ketamina que, mesmo em baixas doses, ainda é visível. Sendo assim, o FDA aprovou o seu uso nesta categoria somente em ambientes ambulatoriais controlados, ou seja, as aplicações só podem ser feitas em pacientes em Clínicas especializadas na forma “Off-Label”, já que o FDA só irá incluir o uso da Ketamina para estes fins quando os efeitos alucinógenos forem eliminados da substância. Trabalhos neste sentido já estão sendo realizados desde 2012 por um laboratório farmacêutico internacional que pretende lançar um medicamento exclusivo para Depressão com base na Ketamina sem os efeitos alucinógenos, com uso oral (comprimidos), ao invés da atual aplicação intravenosa. Provavelmente, até 2025 este medicamento já estará disponível. Por enquanto, pacientes com Depressão Maior e com Transtorno de Ansiedade podem se beneficiar do tratamento Off-Label com a Ketamina injetável em várias Clínicas nos Estados Unidos e também aqui no Brasil, como por exemplo a Clínica Psiquiátrica OHR em São Paulo, dirigida pelo Dr. Ivan Barenboim, de quem eu mesma fui paciente, já que, embora eu seja Psiquiatra, também sofri durantes muitos anos com a Depressão Maior e, após me submeter ao tratamento com Ketamina, obtive uma melhora significativa. Infelizmente, há poucas Clínicas aqui no Brasil oferecendo este Tratamento e agora a Clínica Psiquiátrica Dra. Karen, a minha Clínica em Sorocaba, SP, também está oferecendo a Cetamina para tratar pacientes que sofrem com a Depressão. Somos a quinta Clínica do Brasil e a primeira do interior de São Paulo.

36 opiniões sobre “A Ketamina e o Cérebro – Um promissor tratamento para a Depressão Maior”

  1. Apenas tentando colaborar com a galera, no RS, no Hospital da PUCRS em Porto Alegre, tem um anestesista que faz as infusões. Dr Regis. Contato: 51 3320 5000 e 3336 7734 Força, pessoal! Tamo junto!

  2. Apenas tentando colaborar com a galera, no RS, no Hospital da PUCRS em Porto Alegre, tem um anestesista que faz as infusões. Dr Regis. Contato: 51 3320 3000 Força, pessoal! Tamo junto!

  3. Caso alguém esteja a procura do tratamento em Santa Catarina, tem essa clínica que faz as infusões no hospital São Sebastião na cidade de turvo. As consultas com os médicos da equipe custa 450 reais e cada infusão custa 600 reais. O contato é esse: (48) 99984-0646

  4. Sofro de ansiedade desde a infância, na adolescência eu tive o diagnóstico de pânico. Mantive algum controle com antidepressivos e ansiolíticos. Faz 6 meses que tive uma recaída e mesmo tomando medicações, os pensamentos ruins me assolam diariamente. Demoro a sair da cama e não sinto prazer em mais nada. Cada dia é penoso. Procurei saber se havia tratamento em Santa Catarina e descobri que sim, porém custa 600 reais cada infusão e a indicação inicial são 12 infusões. Ou seja, o deprimido tem de ter mta grana para tentar sair desse vale sombrio ou ter a felicidade de morar em Sorocaba e ser tratado pela Dra Karen que aparenta ter bom senso, empatia e profissionalismo. Dra, sou tua fã e em nome dos que podem se tratar contigo com valores mais justos eu te agradeço.

    1. Julia, eu agradeço pelo elogio, mas, ao mesmo tempo, sinto muito pela sua situação. O tratamento para Depressão com Cetamina ainda é muitíssimo alto para a maioria dos pacientes. E, boa parte disso se deve ao desconhecimento e pela negação de boa parte dos Médicos da minha área. No ano passado eu realizei uma palestra em minha cidade para explicar o funcionamento dessa substância no tratamento clínico e ambulatorial de pacientes com Depressão e Ansiedade. Convidei todos os Psiquiatras, Neurologistas e Psicólogos de Sorocaba e região. O auditório comportava 150 pessoas, além de uma ampla infraestrutura de atendimento. Os convites foram impressos e entregues diretamente nos consultórios e clínicas, além de divulgação nas mídias sociais e por email. Por fim, compareceram apenas 15 profissionais da área de saúde, sendo a maioria Psicólogos, que dependem dos Médicos para o diagnóstico e a indicação do tratamento. Ou seja, falta interesse em saber mais sobre o assunto para disseminar o tratamento. Se mais Psiquiatras oferecerem o tratamento, o custo automaticamente diminuiria. E se o SUS implantasse o tratamento, tudo seria bem melhor. Mas, infelizmente, a situação não é essa. Eu tento seguir o bom senso na divulgação do método e evitar a mercantilização do tratamento, oferecendo um valor que cubra apenas o custo da medicação e da infraestrutura do ambulatório. Mesmo assim, a procura do tratamento é pequena, haja vista que não estou localizada em um grande centro comercial, como São Paulo, por exemplo, onde o custo do tratamento é comparável ao de Santa Catarina. Pela lógica, aqui em Sorocaba, uma cidade bem menor, esse tratamento deveria ter um valor bem mais alto. Mas eu não sigo essa lógica. Quero atender os pacientes que necessitam.

  5. Querida Dra, agradeço toda a sua sensibilidade e carinho para com todos nós aqui, em busca de uma esperança que muitas vezes é o que nos faz não desistir de tudo. Tenho depressão e ansiedade, a cetamina poderia ajudar? Faço uso de antidepressivo e meu sofrimento data desde a infância. Encontro-me em uma recaída. A tua atenção nos faz sentir vontade de sair correndo até Sorocaba, mas para quem mora em Porto Alegre é complicado. Sabes de algum profissional aqui que pudesse ajudar? Deus te guarde e te use de instrumento de esperança e cura. Beijos.

    1. Olá Antonella. Muito obrigada pelo elogio! Realmente a distância entre as nossas cidades é um fator complicante para o tratamento. Como eu disse no texto, a Cetamina é a melhor opção para casos extremos, onde já se foi tentado de tudo sem um resultado satisfatório. Bem, sobre o tratamento com Cetamina em Porto Alegre, o único Psiquiatra de que tenho conhecimento é o Dr. Diogo Lara, que atende em sua Clínica na Avenida Iguaçu, 451. O telefone é 51 3383-1291. Espero que essa informação possa lhe ajudar.

  6. Boa tarde doutora Karen,

    Gostaria de saber como faço para marcar uma consulta .Preciso muito começar o tratamento de infusão de Cetamina, já que tentei de tudo para sair da depressao. Sou do Rio, mas posso ir até São Paulo ao seu encontro. Obrigado.

    Att,
    Michael

  7. Oi! Bastante esclarecedor, obrigada. Gostaria de saber se alguém tem conhecimento de alguma clínica ou psiquiatra no Rio de Janeiro que faça o tratamento com cetamina?

      1. Infelizmente, Michael, esse é o valor que eles cobram. A minha Clínica está cobrando apenas 200 reais por infusão, mas há o problema da distância. Em alguns casos os custos de viagens e hospedagens acabam compensando. É preciso lembrar que o protocolo inicial é mais rígido e requer que o paciente permaneça tomando doses semanais durante o primeiro mês e, depois, conforme a resposta, se pode passar para uma infusão a cada 15 dias e, posteriormente, uma por mês. Dependendo da necessidade, da distância e das condições financeiras de cada paciente, pode ser mais compensatório ir para Sorocaba, SP, e permanecer viajando ou hospedado durante o primeiro mês.

  8. Tenho bipolaridade desde os 17. Tenho 53. Sou resistente aos remédios tradicionais. A Sra. tem alguma colega que aplique cetamuna em Ooeto Alegre?
    Att.,
    Elisa

  9. Dra Karen,
    Obrigada pelas informações.
    A senhora poderia indicar algum médico que realize infusões de cetamina no Rio de Janeiro ? obrigada .

  10. Olá, realmente muito interessante o tratamento, estou fazendo pós em neuropsquiatria e dependência química e gostaria muito de saber mais sobre o assunto. Grata desde já.

    1. Olá Bruna! Se você se interessou pelo método, por favor veja mais informações neste link: http://www.doutorakaren.med.br/ketamina.pdf
      Trata-se de um folder que foi impresso pela minha Clínica e distribuído à Neurologistas e Psiquiatras que compareceram à minha Palestra sobre a Cetamina, realizada em Sorocaba no mês de Outubro passado. Se você fizer uma busca no Google em inglês, como por exemplo “ketamine depression”, encontrará um farto material de estudo, principalmente no site http://www.ketamineadvocacynetwork.org

    1. Olá Eliana. Infelizmente não conheço nenhum Psiquiatra que atenda pela Intermédica que eu possa lhe indicar. Sugiro que consulte o site Doctoralia e faça uma busca por Psiquiatra na sua cidade e, depois, filtre a busca por Planos Médicos, adicionando a Intermédica. Provavelmente o Psiquiatra que encabeçar a lista é o mais cotado e, portanto, o mais indicado.

  11. Eu gostaria saber mais sobre essa infusão tenho depressao e ansiedade realmente vai me ajudar tomo remédio mais não adianta e caro tratamento de quanto tempo tenho tomar as inversões?

    1. Olá Zeneide. O Tratamento da Depressão com Infusão Intravenosa de Cetamina é a melhor opção existente atualmente. Você só não poderá fazer este Tratamento se tiver alguma doença coronária grave ou se tiver pressão arterial alta sem controle por medicamento. Fora isso, não existe nenhuma outra contra-indicação e, além disso, os efeitos colaterais do Tratamento são sentidos apenas durante as primeiras duas horas após a infusão. Por isso, é aconselhável o paciente vir com um acompanhante, pois você sentirá tonturas, um relaxamento muscular, uma euforia (alegria excessiva) e poderá experimentar algum tipo de alucinação temporária. Mas não se preocupe, a nossa Clínica dispõe de um local seguro e confortável para você permanecer até passar todos os efeitos. Outra coisa: o efeito antidepressivo é imediato e acontece antes mesmo de terminar a infusão, que dura 40 minutos. Cada infusão custa 200 reais e no início do Tratamento o custo acaba sendo um pouco maior porque você precisará de uma infusão por semana durante o primeiro mês. Depois você receberá 1 infusão a cada 10 dias durante 30 dias e, posteriormente, a dose passará para 1 a cada 15 dias. Assim que ocorrer a estabilização, o paciente receberá apenas 1 dose por mês. Esse cronograma de aplicações é necessário para evitar uma recaída durante o Tratamento. A partir do momento que você inicia o Tratamento, não haverá mais necessidade de continuar tomando nenhum outro medicamento. Obviamente que alguns medicamentos necessitam de um período para serem retirados, ou seja, há medicamentos que o paciente não pode parar de tomar de forma imediata. Mas tudo isso será analisado durante o Tratamento.

  12. Existe alguma clinica em Brasilia ou Goiânia que realiza esse procedimento com Cetamina? Só consegui encontrar a clinica de São Paulo e outra no Rio de Janeiro mas os custos financeiros inviabilizariam o tratamento.
    Obrigado.

    1. Olá Luciano. A partir de Julho a minha Clínica em Sorocaba, SP, também começará a oferecer o tratamento com Cetamina para pacientes com Depressão Maior e Refratária. Provavelmente seremos a 6ª Clínica no Brasil com esta opção de tratamento. Isso é muito bom, mas também é ruim se pensarmos que há tão poucos profissionais no país para atender essa demanda tão alta de pacientes necessitando deste tipo de tratamento inovador. Demorei alguns dias para lhe responder porque eu estava pesquisando se havia alguma Clínica ou profissional em Brasília ou Goiânia que pudesse lhe atender. Infelizmente, a única referência que encontrei é sobre um estudo feito em 2007 por uma Médica Anestesiologista e Pesquisadora usando Cetamina para tratar a Depressão em idosos internados. O nome dela é Dra. Margarida Castanheira Rodrigues Brêtas Bastos e, atualmente, ela é Professora Adjunta da Faculdade de Medicina da Universidade Católica de Brasília e também atende no Hospital Regional da Asa Norte. Acredito que ela possa te auxiliar a encontrar alguém que esteja trabalhando atualmente com a Cetamina para Depressão em Brasília ou em alguma cidade próxima. Talvez haja algum Programa de Pesquisa em alguma Universidade ou, talvez, a própria Dra. Margarida Castanheira possa lhe oferecer o tratamento. Gostaria imensamente de poder lhe ajudar com mais e melhores informações, mas isso foi tudo que eu pude encontrar. Espero que em breve mais e mais profissionais Psiquiatras brasileiros entendam a importância deste tratamento e passem a disponibilizar esta opção que, na maior parte das vezes, é a diferença entre viver ou, infelizmente, morrer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>